Percurso Infinito


Praia de Ipanema, 20/12/2008 by percursoinfinito
abril 3, 2009, 5:43 pm
Filed under: Fumproarte, POSTS

 

Leticia Prudente

Leticia Prudente

 

Daniel Lahirihoy

Daniel Lahirihoy

 

 

Leticia Prudente

Leticia Prudente

 

Marcus Luconi

Marcus Luconi

 

 

Daniel Lahirihoy

Daniel Lahirihoy



Praça da Alfândega, 18/12/2008 by percursoinfinito
abril 3, 2009, 5:33 pm
Filed under: Fumproarte, POSTS

True

Carmelina Castro

Carmelina Castro

Carmelina Castro

Carmelina Castro

Carmelina Castro

Carmelina Castro



Parque Moinhos de Vento, 05/12/2008 by percursoinfinito
abril 3, 2009, 5:03 pm
Filed under: Fumproarte, POSTS

 

True

True

 

 

True

True

tn-1Ana Carolina Da Cunha

 Ana Carolina da Cunha

 

foto Marcus Luconi

Marcus Luconi

Heron lopes

Heron Lopes Junior



Morro da Cruz,29/11/2008 by percursoinfinito
abril 3, 2009, 4:59 pm
Filed under: Fumproarte, POSTS

Priscila

Priscila

 

True

True
foto True True

 

Priscila

Priscila

 

 

dsc03091

True

 O trabalho do olho.

Descanso do olhar, deixando a imagem entrar, deixando, soltando a precisão do foco, do conforto dos contornos das formas. Não é experiência de cegueira, seja preta ou branca. É a busca da abertura do olho, do uso da periferia.
É sentir que ele dança, vai junto, propõe o movimento.
Não é nada fácil esse trabalho, já que a construção de metas, pontos de chegada fim-da-linha ensinam nosso olho a não descansar, não perder o foco. É necessário estar desperto! Dizem-nos. Sim, sim, mas, quem sabe possamos despertar para outros sentidos. Despertar para o caminho que, enquanto presente, é infinito. Cores nos movem. Entram pelos olhos, azulam o próximo passo.
Estar desperto para o encontro é aproveitar o estado de não prever, de não perder a amplitude. De, do alto do morro e na cruz, dançar vento e colorido de crianças. Rodopiar no roteiro e gostar disso.

por Samantha Luconi

True

True

 

Priscila

Priscila

Priscila

Priscila

A arte nasce do espaço entre a inspiração e a expiração, que inacabados necessitam desta explosão para seguirem sua trajetória. O som dança pelo espaço, toma forma assim, girando sobre si mesmo, ondulando, sua finalidade é existir no ouvinte, para que possa saber de si.obrigado pelo privilégio da arte.                      

por Celau Moreyra

Priscila

Priscila

Priscila 

True

True



Centro Vida Zona Norte, 28/12/2008 by percursoinfinito
abril 3, 2009, 4:53 pm
Filed under: Fumproarte, POSTS

 

Daniel Lahirihoy

Daniel Lahirihoy

Daniel Lahirihoy

Sempre que vou a zona norte de Porto Alegre percebo a aridez do ambiente. Poucas árvores, mais distante do rio guaíba, zona plana, escolhida para abrigar o aeroporto, as fábricas e indústrias e os novos assentamentos humanos da cidade. Os aviões  marcam o céu e o som. No Centro Vida escolhemos um jardim seco para dançar. Presentificou no meu corpo o vazio, a secura, me senti um tijolo dançando. O chão muito quente queimou meus pés. O público foi composto na maioria por senhoras idosas, me senti como que no primeiro dia, mostrando a dança para as anciãs darem sua aprovação. Ao longo da dança, algumas  sentaram e deitaram na grama, tranquilas e relaxadas.

por Clarissa Silveira



O Começo by cissasilveira
março 30, 2009, 10:25 pm
Filed under: POSTS, textos

 

Tudo começou quando um grupo de psicólogas decidiu conhecer seus corpos através da dança. Conectadas com o trabalho de Thais Petzhold, procuraram a bailarina para conduzi-las neste percurso. Passados alguns anos, resolvemos mostrar o percurso desenvolvido: Thaís e Celau grávidos, convidam o grupo formado para dançar no teatro, e o trabalho foi à público. Desde então, a cidade de Porto Alegre passou a conhecer o Percurso Infinito.   por Clarissa Silveira  

Andre Chassot

Andre Chassot

 

Andre Chassot
 Fotos Andre Chassot

A escrita da dança é verbo. Trabalhamos no movimento, mais precisamente, na experimentação do movimento no corpo. Iniciamos nosso percurso desmanchando hábitos do mover. Foram meses aprendendo a quietude e a escuta da fonte principal do movimento, a respiração. Olhos fechados, foco na percepção das sensações, um exercício contínuo de trazer a consciência para o momento presente. O pensamento também tem seus hábitos e teima em vagar pela imaginação. Fazemos a aterrissagem do pensar buscando o silêncio das ideias estabelecidas. Partimos na aventura de criar. Nosso trabalho acontece a partir do encontro com os espaços que se abrem no pulso da respiração, no silêncio dos pensamentos cotidianos. A palavra se abre como possibilidade, como acontecer. Experimentamos no corpo a abertura de sentido das palavras e elas acabam funcionando como passagem, como um caminho. Movemos a partir da relação com algo, pode ser chão, vento, nuvem, parede, outro corpo, e nessa relação jogamos, não como um sujeito que se relaciona com um objeto e procura desvendá-lo, jogamos desfazendo a dualidade sujeito-objeto. Investigamos a textura, o cheiro, a temperatura, a velocidade, o tônus, a cor e o que mais possa se insinuar em nossa percepção para abrirmos a possibilidade de deixar esse outro passar em movimento pelo corpo.

por Tanise Kettermann

.
fotos de Andre Chassot

fotos de Andre Chassot (aula/ensaio março 2007)

 

Nosso processo em sala de aula era lindo. Corpos entregues ao momento presente, experimentando pequenos detalhes, tendo a respiração como âncora e a mente/corpo livre da forma, deixando-se movimentar. Nosso processo/percurso tinha iniciado. Com certeza nunca o finalizaríamos. 

Celau e eu estabelecemos nossa parceria entre música e dança em 2000. Encontros para diálogos improvisados aconteceram desde então. Anos depois mais uma parceria eterna: Yuri

A gravidez foi a inspiração que faltava. Mais do que nunca senti o movimento presente no meu corpo e uma vontade enorme de compartilhar estes encontros e processos levou-nos ao palco do Teatro Renascença no dia 12 de abril de 2007. Percurso Infinito “nasceu”.  

Clarissa Silveira, Cristiane Knijnick, Samantha Luconi, Tanise Kettermann e Thais Petzhold dançando ao som de Celau Moreyra e Maurico Marques.

por Thais Petzhold

grupo-14

Fotos Andre Chassot / Teatro Reascença, 12/04/2007

Fotos Andre Chassot / Teatro Reascença, 12/04/2007

 

BienalB, novembro 2007

Cristopher Bertoni

Foto Valeria Lima

Valeria Lima

 

Foto Valeria Lima

Valeria Lima

Foto Cristopher Bertoni Cristopher Bertoni
Foto Criatopher Bertoli

Criatopher Bertoni

 

Daniel LahirihoyDaniel Lahirihoy
Ensaio de rua em terreno em demolição, abril 2008
Daniel LahirihoyDaniel Lahirihoy

 

Continuamos com nossas experimentações. Aulas/encontros, momentos de descobertas e poesia. Na sala de aula pequena de uma casa ou apartamento, na Redenção, caminhando pelas ruas, no terraço de um edifício. Qualquer lugar acolhe a investigação. å inspiração e a disponibilidade abrem possibilidades ainda não percebidas.                                por Thais

 

Do terraço

Como se abrisse uma larga avenida
Onde o fluxo das luzes pudesse ser visto lá de cima
E de lá já não se sabe onde começa e onde termina
Que se alinha e se transversa
Que é caminho e não finda

Daí que o largo seja íntimo como uma partícula
Que se abre
De pele-avenida sanguínea
Vasos, artérias, fluxos
Que em músculos, deixa-se encontrar

Movimento lento lá em cima
Encontro bifurcar
Transformar em dança a avenida
Avenidando esse estar

por Samantha Luconi

 



Este Blog by percursoinfinito
dezembro 21, 2008, 1:44 am
Filed under: apresentação

Este Blog foi criado com o objetivo de compartilhar o processo de criação do projeto Percurso Infinito que no momento conta com o financiamento do Fumproarte. Estaremos “alimentando” este espaço com fotos, vídeos, textos e desenhos produzidos pelos realizadores e espectadores (coautores) deste projeto.Nos visite mais vezes e vá acompanhando os movimentos que estão compondo o trabalho que será estreado em teatro nos dias 21, 22, 23 e 24 de maio na Sala Álvaro Moreyra.

Marcus Luconi

Marcus Luconi

Ficha técnica das performances urbanas e em teatros

Elenco – Clarissa Silveira, Samantha Luconi, Tanise Kettermann e Thais Petzhold (dança)

               – Celau Moeyra e Mauricio Marques (música)

Thais Petzhold – Concepção, Direção Coreográfica e Geral

Celau Moreyra – Direção Musical  

Ines Hubner – Direção de Produção

Fred Messias – Criação Gráfica

Sandra Alencar – Divulgação

Nas apresentações em teatro 

Zoé Degani – cenário

Antonio Rabadan – figurino

Carina Sehn – iluminação